Mendoza (Parte 2): Cidade

Mendoza é uma cidadezinha pequena, com pouco mais de 100 mil habitantes…mas é a capital de toda a província que leva o mesmo nome, que no total chega a mais de 1 milhão de pessoas. A cidade em si parece pequeninha e bem horizontal, com poucos edifícios altos, mas o que muita gente não sabe ou repara é que por lá é super comum as pessoas morarem nas cidades vizinhas que formam a Gran Mendoza, onde é super comum ter condomínios residenciais e bairros fechados. Ou seja, não é tão ovo quanto parece!CIMG1770

A principal atração da cidade realmente é o vinho e todo o turismo ligado a ele. No primeiro post que fiz tem tudo explicadinho sobre as três principais regiões produtoras da bebida. Mas o assunto de hoje é outro, é sobre o que conhecer e fazer na cidade em si!

Primeiro de tudo, não deixe de olhar o guia da municipalidad de mendoza e a agenda cultural, sempre rola uns eventos super bacanas como a Peatonal del Vino, Vino X Tango, feiras, etc.

Mendoza faz siesta! Ou seja, se programe bem pois durante a tarde todo o comércio e maioria dos serviços fecham! O horário padrão de comércio costuma ser das 9hrs-13hrs e volta das 17hrs-21hrs. As vezes um pouco mais ou um pouco menos, dependendo do estabelecimento. 

Acho que o legal para começar a conhecer é cidade é ir para as praças principais. Existem cinco praças, uma central e maior de todas que é a Plaza Independência e quatro em direções diagonais à central, são elas Plaza Chile, Plaza San Martín, Plaza España e Plaza Itália. Se você já deu uma olhadinha no google maps deve ter se perguntado o porque de tanta praça tão pertinho uma da outra.

Bom, Mendoza está ali coladinha com a cordilheira dos Andes, numa área de conflito entre placas tectônicas. Ou seja, terremotos! Lá em 1861 aconteceu um terremoto super forte que matou várias pessoas e destruiu a maioria da cidade. Daquela época sobrou apenas algumas ruínas da Igreja, do cabildo e da ex praça principal (Plaza Pedro Castillo). Ao reconstruírem Mendoza, decidiram por passar o centro principal da cidade para área mais ao oeste, criando essas quatro grandes praças. Elas serviriam de refúgio no caso de um terremoto, além de todas possuírem fontes com água (teoricamente potável).

Ah sim, Mendoza também é incrivelmente seca! Clima semi desértico. Pode ser bem quente no verão e razoavelmente fria no inverno. Quase não chove, mas as vezes acontece! Também costuma nevar na proporção de uma vez ao ano (normalmente em julho ou agosto). As asequias são os canais que percorrem a maior parte das calçadas da cidade e transportam água do degelo da montanha. Isso serve para umidificar o ar e em outros tempos também servia para abastecer a cidade com água. Esse sistema já era utilizado pelos huarpes, um povo indígena que ocupava a região antes da chegada dos espanhóis.

Mas enfim, continuando! A Plaza Independência é enorme, nela existem um teatro e museu de arte moderna. O ticket para o museu vale também para o museu da área fundacional e do aquário municipal, só que possui validade de 48hrs! Na praça costuma acontecer feirinhas de quinta a domingo, normalmente iniciando às 17hrs. Também a noite é comum acontecer peças de teatro ao ar livre, normalmente por volta das 20:30hrs dos domingos. Todos esses eventos costumam constar na agenda cultural da municipalidad de Mendoza. Por sinal, caso queira uma revistinha com a agenda do mês, normalmente tem disponível nos museus e eventos culturais pela cidade. Bom, as demais praças são menores e não costumam abrigar eventos, mas vale conhecer pelos monumentos e decoração. A Plaza San Martín costuma ser bastante utilizada por adolescentes para andar de skate e bicicleta, mas isso depende da hora que você visitar, as vezes também está vazia! A Plaza España já costuma ser mais vazia, mas é super bonita. Todo o piso, bancos e a fonte são inspirados em azulejos espanhóis, além de ter postes de iluminação lindos. As outras duas praças, Chile e Itália, também são legais, porém não chamam tanto a atenção quanto às outras.

Saindo da Plaza Independência para a Avenida San Martín você passará pela Peatonal Sarmiento. É uma rua para pedestres, bem arborizada, larga e com bastante comércio e restaurantes. Linda de dia e de noite! É essa da foto, olha:CIMG1436

Tem diversas lojas de couro, restaurantes, cafés, operadoras de telefone, etc. Provavelmente você vai se amarrar um pouquinho por aqui. Chegando no final da Peatonal, no encontro com a Avenida San Martín, pode valer a pena passar na Secretaria do Turismo (na esquina) para pegar alguns mapas turísticos e informações sobre a cidade. Mas claro, se você já tiver feito uma boa pesquisa e tiver bons mapas, não tem porque! Entre a Peatonal Sarmiento e a Avenida San Martín também existe uma galeria, com entrada em ambas as vias. Essa galeria abriga comércios de pequeno porte no térreo e serviços e residências nos andares superiores. Foi um dos primeiros edifícios com mais andares em Mendoza, possui vitrais muito bonitos (se não me engano são franceses).

Bom, a melhor maneira de se locomover em Mendoza é a pé, pois tudo é bem pertinho e assim você vê cada detalhe da cidade! Mas quando cansar, não exite em pegar um táxi, por lá é super barato. Ônibus é algo complicado para turistas, pois só dá para pagar com moedas (que são raríssimas) ou em cartão de transporte com carga. Não acho que valha a pena para poucos dias, mas, para quem ficar mais, normalmente nos pequenos mercadinhos de conveniência eles possuem o cartãozinho e carga. Na dúvida, peça informação, o povo de Mendoza é bem receptivo e simpático, com certeza vão te ajudar! Uma outra opção também é o Tranvia de Compras, um pequeno ônibus ao estilo de um bondinho que passa pelas ruas que circundam o micro centro (Av. Belgrano, Av. Las Heras, Av, San Martín e Av. Colón). Esse Tranvia cobra a tarifa de 2 pesos (menos do que o ônibus convencional que custa 2,50) e deve ser pago em dinheiro, ou seja, bem tranquilo! Ao longo das avenidas procure pelos pontos de Tranvia. Ele faz apenas sentido horário e o ponto de parada principal é na frente do Carrefour, na esquina da Av, Belgrano com a Av. Las Heras.

Bom, mas prosseguindo para terminar o primeiro passeio em Mendoza, você pode seguir para a Av. Las Heras e xeretar as lojinhas de lembranças! Nessa área há várias, incluindo a Las Viñas (a que gostei mais, bem completa), La Cabaña (loja de chocolates de Mendoza), Havanna (café, mas também vende produtos) e muitas outras.

Se você fez isso tudo no mesmo dia, provavelmente já é quase noite, certo? Aí acredito que a melhor pedida seja ir até a Av. Arístides Villanueva e escolher um barzinho/restaurante. Como sobremesa, não deixe de ir na Ferrucio Soppelsa, definitivamente o melhor sorvete de Mendoza! Quanto aos barzinhos, existem vários interessantes, por isso não vou recomendar nenhum especifico. A maioria possui o cardápio na porta, o que torna fácil de escolher! Ah, e também possui pessoas MUITO CHATAS falando ultra rápido “hola chicos quieren algo para comer/beber?”. Isso acontece em quase todos os bares! Ah sim, não vou recomendar bar, mas vou recomendar outros dois lugares bem legais e bem argentinos, ok? O Café Martinez e a Balcarce! Tem vários espalhados por Mendoza, mas ali na Arístides tem dos dois, Ambos ficam mais próximos do parque San Martín, sendo que a Balcarce fica numa “quebrada” da rua e divide o café com um restaurante chamado Sofia. O lugar é lindo e o preço é justo. Só o atendimento que não foi dos melhores das vezes que fui lá. Demora para atender e moça do caixa super estressada e semi grossa. Mas ainda assim valeu a pena.

O post já ficou enorme, então deixo o resto de dicas da cidade para um próximo! Acompanhem!

Fernanda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s