Mendoza (Parte 3): Cidade

Continuando os posts sobre Mendoza (você já viu a parte 1 e parte 2?) agora vamos fechar com os passeios na cidade! Além do que já comentei na parte 2, outros passeios interessantes são esses:

Área Fundacional: Essa área fica mais ao leste de Mendoza. Você pode pedir para um táxi te deixar na Plaza Pedro Castillo (que é uma graça) e depois seguir a pé. O museu da área fundacional está bem de frente para a praça e conta a história da cidade desde os primeiros habitantes da região, contendo também as ruínas do antigo cabildo dentro de suas instalações. Vale muito a pena! Lembrando que o mesmo ingresso do museu também é válido para o aquário municipal e o museu de arte moderna. Pergunte no museu sobre o passeio no subterrâneo (mostra o nível da antiga praça da época do terremoto) e das ruínas da antiga igreja (em diagonal à praça). Depois disso, pode seguir pelo parque O’ Higgins (por sinal, esse não tem nada de bonito, dá até um pouco de medo…se puder evite ir a pé durante a tarde pois é mais perigoso) até chegar no Aquário Municipal. Por lá é possível ver várias espécies de peixes, tartaruga marinha, jacarés e outros animais. Se se empolgar, ainda pode conhecer o serpentário, que fica do outro lado da rua. Se quiser esticar o passeio a pé, dá para seguir até o parque central. Só lembrando que essa região não é lá super segura. 

Imagem

Parque Central: Esse parque é bonito, porém muito pichado! Já comentei que por lá tem pichação por tudo? Até nas pedras no meio da cordilheira tem! Enfim. É um lugar gostoso pra sentar e ficar olhando os patinhos e marrecos. Tem vendedores de comidinha para os bichanos, assim dá para alimentar e ver os patinhos interagirem. 

Centro Cívico: O centro cívico fica na parte mais ao sul da cidade. Vale a pena conhecer pois o lugar é muito bonito, tem uma praça ampla com fonte com um anjo, além dos próprios edifícios. Algumas árvores são lindas e gigantes. Você pode ir até a Terraza Mirador (olhar no calendário da Municipalidad) que fica no terraço do edifício da Municipalidad de Mendoza. Lá de cima é possível ter uma vista bem legal da cidade e da cordilheira, além de também conter espaços com a vegetação nativa da região, antes da intervenção humana. Antes de ir é bom confirmar o horário de visitação, normalmente costumava ser até às 13hrs, mas nos livrinhos da agenda cultural constava isso certinho (ver a parte 2). Também é possível visitar o Memorial de la Bandeira, no subterrâneo em da praça.

Imagem

Parque San Martín: O parque fica ao oeste, em direção às montanhas. É enorme, mesmo! Um jeito rápido de conhecer é pegando o ônibus turístico na parte oeste da Plaza Independência, os horários costumavam ser por volta de 12:00, 14:00 e 16:00 (melhor confirmar, sempre!) e o preço é por volta de 35 pesos. Dentro do parque existem diversas atrações, como o Zoo, o Cerro de la Gloria, o Golf club, Club de regatas e até a universidade onde estudei, a UNCuyo. O portão do parque, na Avenida Emílio Civit é um dos cartões postais da cidade.

Imagem

Imagem

Emílio Civit: Essa avenida é uma graça! Aproveite para passear a pé e dê uma paradinha no Via Civit Café. 

Cassino: Mendoza possui vários cassinos. Alguns inclusive oferecem aulas de tango gratuitas, viu? Se quiser participar de uma aula é só chegar no cassino, não precisa marcar nada com antecedência. Sei que no Cassino de Mendoza (Ao sul, na Av. San Martín 2045, na divisa com Godoy Cruz) a aula acontece nas quintas-feiras a noite, se não me engano as 21hrs. Um Cassino fácil de ir é no do Park Hyatt, ao lado da Plaza Independência. 

Outros Passeios: A Travessia da cordilheira de ônibus é uma ótima pedida se o tempo da viagem permitir. Conhecer Santiago também é super legal, e de quebra tem a vista linda de todo o caminho. Só cuidado com o clima quando você for, pode ter o desprazer de ter que adiar sua volta devido ao fechamento do passo (quando neva na cordilheira). Pra quem gosta de aventura existem várias opções de passeio, como rafting nas montanhas, trekking, passeio a cavalo, o parque do Aconcágua, e assim por diante. O ideal é pesquisar em uma agência turística, ok?

COMPRAS:

Alta Cocina: Lojinha repleta de acessórios culinários! Gostava de passear por lá, tem muita coisa diferente. O preço dos produtos produzidos na Argentina eram bons, porém os importados eram tão caros quanto no Brasil. Uma das lojinhas fica bem próxima a Emílio Civit, na M. Olascoaga 1072 e outra fica no Barracas Mall. Pessoalmente prefiro a loja de rua, a do shopping tem bem menos variedade.

Todo Moda: Essa lojinha segue a linha Acessorize, sabe como? Cheia de coisas fofas e com preços bem razoáveis! Bijuterias, itens de papelaria, esmaltes, maquiagens, bolsas, chapéus, cachecóis, meias e acessórios de cabelo são os principais itens da loja. Os preços são muito amigos. Vale super a pena para trazer de lembrança para amigas, filhas, sobrinhas, etc. É fácil de encontrar uma dessas em Mendoza, tem lojas pelo centro, de frente para a rua, assim como nos shoppings. Na dúvida confere os endereços no site deles.

Isadora: Essa é outra loja de acessórios, porém com os preços um pouco mais altos do que a Todo Moda. Os itens são um pouco diferentes também, viu? Aqui as coisas são mais lisas e coloridas, enquanto que na Todo Moda você encontra muita estampa de bichinho e afins. Eu encontrei um brinco lindo nessa loja que quase não tiro da orelha desde que comprei. Também é super fácil de encontrar, várias pelo centro e pelos shoppings.

Falabella: Loja de departamentos que possui roupas e coisas para casa. Diferente das filiais chilenas (que são um sonho de consumo), a de Mendoza é bem carinha. Ainda assim acho que deve ser um dos melhores lugares para comprar roupa por lá, caso você precise. 

Mendoza Plaza Shopping: Creio que o melhor shopping da região. Possui um Starbucks, Ferrucio Soppelsa, Todo Moda, Falabella, Isadora e mais várias outras lojas. O cinema é caríssimo e não tem meia entrada! 

Palmares Open Mall: Também possui Starbucks, Isadora e afins. O shopping é mais aberto, como a parte de alimentação como uma praça aberta. Tem um mercado Vea bem do lado. Não me lembro o nome, mas tem uma farmácia muito boa com uma ótima variedade de Sally Hansen. Os produtos da marca valem a pena, custam muito mais baratos que no Brasil. Para ter uma idéia, um esmalte da linha diamond strength que no Brasil custa por volta de 74 reais, me custou na Argentina cerca de 58 pesos (uns 25 reais). Também vale a pena conferir produtos dermocosméticos de marcar como Vichy, Cetaphil, La Roche Posey e afins. Um hidratante da Cetaphil para pele extremamente seca eu paguei cerca de 39 reais, enquanto aqui o produto não sai por menos de 60 reais. Enfim, outro loja muito legal desse shopping é a John Cook. A loja é linda, as roupas também. Como todas as lojas de roupa em Mendoza, os preços são meio salgadinhos, mas mesmo assim comprei duas blusinhas lá que adorei e não me arrependi! Paguei cerca de 220 pesos em cada uma (uns 105 reais).

La Barraca Mall: Não gostei. O shopping é torto, de verdade! Parece que em vez de aterrar o piso antes da construção, as pessoas geniais que construiram esse lugar tiveram a ideia de seguir nos pisos com a inclinação externa da rua. Dá uma agonia extrema. 

Havana: Lembro de dois cafés da marca, ambos também vendem os doces. Um deles fica na Peatonal Sarmiento enquanto que outro fica no circuito do Tranvia de compras, na Av, Las Heras.

Balcarce: Lembra que já comentei da Balcarce na parte 2? Pois é, eles também vendem os alfajores, que são uma delícia. Esses tempos descobri que aqui em Curitiba a Casa Fiesta (Água Verde) tem dos alfajores deles e o preço é o mesmo!! Fiquei super feliz e já comprei algumas vezes para matar a saudade.

La Cabaña de Mendoza: Essa é uma marca que possui várias lojas pela cidade e é ali da região mesmo. O alfajor é gostoso, mas ainda prefiro da Balcarce ou da Havana. O doce de leite deles é uma delícia. Dá para visitar a fábrica, mas não recomendo, viu? Achei o passeio mega rápido e a moça guia foi bem seca no atendimento. Tem uma loja também na Av. Las Heras no trajeto do Tranvia, ainda tem outras duas na Av. San Martín. Dá para conferir os endereços no site da marca.

Las Viñas: Já comentei dessa lojinha na parte 2. Aqui você encontra lembrancinhas turísticas, achei essa a melhor de todas que fui, fica na Av. Las Heras, também no percurso do Tranvia de Compras. Outra coisa legal é que eles trocam dólares, viu? A cotação que eles costumavam fazer é de 7,50 pesos por 1 dólar ( o oficial gira em torno de 5,50). Trocam no máximo 200 dólares por dia por pessoa. Por que isso? Porque o governo argentino complica a vida do povo na hora de comprar dólares e viajar para o exterior. Para comprar a pessoa tem que antes ser aprovada, ou seja, tem que comprovar renda, justificar porque precisa do dinheiro e blá. Como muitas pessoas não conseguem essa aprovação, surgiu esse mercado negro do dólar. 

Carrefour: Mercado básico. Melhor lugar para comprar vinhos, comidinhas e até alguns cosméticos. Tem várias promoções ótimas, do tipo compre 2 e pague 50% menos no segundo item. Vale a pena ver os cosméticos como Nivea e St. Yves, são razoavelmente mais baratos do que no Brasil. Eu comprei também um sabonete em espuma da Plusbelle e adorei, paguei super barato (cerca de 6 pesos com desconto na segunda unidade). Uma marca com embalagens fofas é a I love 47 (marca de roupa que expandiu a linha para itens de beleza)…só que eu comprei algumas coisas e achei as fragrâncias muito fortes e enjoativas. Enfim, vai do gosto. 

Vea: Outro mercado. As promoções não são tão boas quanto às do Carrefour, mas as vezes vale conferir. No Vea eu vi um produtos de beleza locais, a base de uva e vinho, super baratos! Vale para dar de lembrança. É comum encontrar produtos assim (só que mais caros) em lojas de vinho ou até em bodegas. Também se encontra muito cosméticos a base de oliva.

Mercado Central: Legal para comprar temperos, vegetais, frutas, carnes, conservas e afins. Também possui várias opções de restaurantes e lanchonetes. Se você não gosta de ver animais inteiros sem pele é melhor nem passar perto dos corredores de carne. E nem olhar com muita atenção para as “vitrines” das banquinhas que vendem carne, ok? A coisa é forte x_x’.

COMIDAS:

Parrilla: El Patio de Jesús María – caro, muito caro. Bom, mas não vale. | Parrilla do Mercado (Mercado Central) – preço mais justo e sabor bem razoável. Florença – preço médio, bom atendimento e bom sabor. 

Cafés e Confeitarias: Via Civit – gostoso, bonito e com ótimas opções de doces e típicos. | Balcarce – perfeita! ótimos preços, ambiente bom e produtos muito gostosos. |Ferruccio Soppelsa – o melhor sorvete que já comi em toda a minha vida. | Martinez – rede de cafés argentina, boa. | Starbucks – meu preferido era o dulce de leche latte, humm! | Pasteleria Die Oma – confeitaria alemã, a torta de maça é uma delícia! Também foi a melhor tortilla (pãozinho achatado típido de lá) que comi em Mendoza. | Petrona – Um lugar gostosinho com diversos ambientes diferentes. Ideal para um café, chá, vinho e entradinhas e tira gostos. | Tea Company – Meu trauma! Queria tanto ter ido e nunca fui =/. Vi latinhas de chá dessa marca na Terraza de los Andes e só aumentou minha vontade de ter conhecido. Fica em Godoy Cruz, meio longinho…mas se você for em algum shopping (todos são meio longes) talvez compense visitar. 

Restaurantes: Sabina – Opção barata e vegetariana, por kg, na Arístides Villanueva. | Azafrán – comida gourmet com um preço razoável. Ambiente fofo e bom atendimento. 

Bom, é isso! Com isso termino a série sobre Mendoza! Qualquer dúvida é só comentar, ok? 

Fernanda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s